domingo, 22 de outubro de 2017

Semana nova, e muita coisa boa em nossa loja


Homem é morto com tiros de doze no Bar da Toinha centro da cidade de Janduis/RN

Na tarde de hoje, 22 de outubro, por volta das 15hs; a polícia miliar foi informada de que um crime de homicídio teria acontecido no Bar da Toinha, que fica próximo ao mercado público, centro da cidade de Janduis.
Segundo informações, três homens armados chegaram no bar e executaram a pessoa Francisco Jales da Silva, mais conhecido por Nego de Uau, o mesmo era investigado por assalto.
Vários tiros de espingarda 12 e pistola 380 foram efetuados contra a vitima. O cabo Valdir, que comanda o destacamento da PM no município, foi avisado do crime por volta das 15h20 e imediatamente saiu em diligência, mas não conseguiu localizar suspeitos. Ele acionou a Polícia Civil de Patu e também o ITEP de Mossoró.

A princípio, os policiais não confirmaram se existe relação ou não com a atuação de Nego de Uau no mundo do crime, mais havia ganho na Justiça o direito de responder o crime pelo qual respondia em liberdade.

Focoelho

Michel Temer atuou pessoalmente para salvar Aécio Neves, diz revista


A vitória de Aécio Neves (PSDB-MG) no plenário do Senado na última semana pode ter contado com forte ajuda do presidente Michel Temer. De acordo com a coluna Radar da Veja deste final de semana, o peemedebista atuou “pessoalmente para salvar” o mineiro.
“O presidente acionou o ex-governador André Puccinelli e conseguiu os três votos da bancada sul-mato-grossense para o tucano”, diz a coluna.
Jornal do Brasil

Palmeiras vence o Grêmio e pressiona o líder Corinthians


Itamar Aguiar/Agência FreelanceO Palmeiras provou a si mesmo que o bicampeonato brasileiro não é um sonho impossível. O time fez um segundo tempo primoroso neste domingo e atropelou o Grêmio em Porto Alegre: 3 a 1, com dois gols de Dudu e um de Moisés – Michel, um dos dois únicos titulares escalados por Renato Portaluppi, diminuiu. Foi a terceira vitória alviverde em três jogos sob o comando de Alberto Valentim.
TERRA

Neymar marca, é expulso, mas PSG arranca empate no fim graças a Cavani


Em um clássico truncado e com cara de Taça Libertadores, Olympique e PSG ficaram no 2 a 2 em Marselha. Antes do jogo, briga entre torcedores locais e policiais. Com a bola rolando, Neymar deixou o seu, virou alvo de objetos atirados da arquibancada e ainda foi expulso quando o jogo estava 2 a 1 para os anfitriões. Para sorte do brasileiro, Cavani, nos acréscimos, marcou de falta e manteve a invencibilidade parisiense no Campeonato Francês.
 Com o resultado, o PSG chegou aos 26 pontos e segue firme no topo da tabela, quatro à frente do Monaco. O Olympique aparece em quinto, com 18 pontos.
GE

Soberano, Hamilton vence nos EUA e fica perto do título. Mercedes é tetra

Soberano, Hamilton vence nos EUA e fica perto do título. Mercedes é tetraSebastian Vettel bem que tentou. Fez grande largada saindo de segundo, assumiu a ponta da corrida logo na primeira curva, mas não foi o suficiente. Sobrando durante todo o final de semana, Lewis Hamilton não demorou muito para retomar a primeira colocação, e depois rumou com tranquilidade para vencer o GP dos EUA, 62º triunfo na carreira, nono na temporada. Em uma estratégia diferente, de dois pit stops, o alemão da Ferrari lutou para ultrapassar Valtteri Bottas no final, e foi ajudado pelo companheiro de equipe Kimi Raikkonen, terminando em segundo.
Com o resultado, a Mercedes faturou o tetracampeonato no Mundial de Construtores:
Saindo da 15ª posição no grid, fruto de uma punição, Max Verstappen mais uma vez deu um grande show para os fãs da Fórmula 1. Agressivo desde a largada, o holandês deixou o melhor para o final, superando Bottas, e depois Raikkonen na penúltima volta para receber a bandeira quadriculada na terceira colocação. Entretanto, o piloto da RBR #33 acabou punido em cinco segundos pela direção de prova por ter excedido os limites da pista no momento da ultrapassagem derradeira. Com isso, o finlandês da Ferrari assumiu o terceiro posto.
Que não gostou da punição foi Jos Verstappen, pai de Max, que ironizou a FIA no Twitter: “FIA – Assistência Internacional da Ferrari”.
Mais atrás no grid, disputas intensas entre a dupla da Force India e a Renault de Carlos Sainz Jr. Estreando pelo time francês, o espanhol ex-STR mostrou grande habilidade, se mantendo a todo momento entre os dez primeiros. No final, conseguiu ultrapassar Sergio Pérez, mas empacou atrás do francês Esteban Ocon, terminando em ótima sétima colocação. Felipe Massa também foi bem, travando um duelo com Romain Grosjean, o brasileiro conseguiu superar o piloto da Haas, entrou no Top 10 e não saiu mais, fechando em nono lugar.

Ufac repudia carta racista contra estudante indígena em Cruzeiro do Sul e diz que tomará ‘medidas cabíveis’

Ufac usou perfil oficial para divulgar nota de repúdio  (Foto: Reprodução/Facebook)A Universidade Federal do Acre (Ufac) usou o perfil oficial da instituição no Facebook para repudiar o ato de racismo registrado no canpus Floresta, em Cruzeiro do Sul, na última semana.
A estudante do 2º período de pedagogia, Kethyla Taiane, recebeu uma carta anônima com ofensas racistas por ser descendente de indígenas da etnia Araras.
“Expressa com veemência o repúdio a qualquer atitude racista e machista que ocorra na sociedade, em especial dentro das dependências desta instituição. Desta forma, nos solidarizamos com a discente do curso de pedagogia de Cruzeiro do Sul, Kethyla Taiane Shawanava de Almeida que na quarta-feira,18, foi vítima de racismo através de carta anônima dentro das dependências do campus. Nesse sentido, a Universidade tomará às medidas legais cabíveis”, diz a nota.
Em entrevista ao G1 na sexta-feira (20), a coordenação do curso já havia informado que um processo administrativo deve ser aberto e que o autor da carta pode ser expulso da universidade.
A carta foi deixada durante o intervalo de aula entre as coisas da estudante.“Não sei quem teve a brilhante ideia de misturar pessoas normais com índios. Porque raça nojenta é essa. Observamos que os professores todos gostam de você, deve ser por ter pena. (…) Tira a tua máscara garota. Deixa de ser essa caboca [sic] nojenta e imunda que tu é”, diz um trecho da carta.
O texto também contém outros ataques e o autor diz que quer que a garota desista do curso. A Polícia Federal está investigando o caso.
A carta continua dizendo que a estudante tem um inimigo no curso e que o objetivo é que ela desista de estudar. “Vai tomar caiçuma e ter uns 11 meninos na aldeia. (…) Deixa de ocupar uma vaga que poderia ser de outra pessoa. (…) Saiba que tem um grande inimigo aqui, que vai infernizar até tu desistir. Espero que se toque. Beijos de luz, caboca [sic] nojenta”, finaliza a carta.
Os pais da menina se disseram perplexos com a situação. Alguns alunos e direção de escola que a menina frequentou na cidade também usaram as redes sociais para se solidarizarem com a estudante.
G1

Abe vence eleição e pode ter apoio para mudar Constituição pacifista do Japão

Da EFE
 
Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, fala à imprensa e comemora a vitória de seu partido o Liberal Democrata que conquistou maioria absoluta na Câmara Baixa do parlamento japonêsO primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, venceu as eleições deste domingo (22) com uma vantagem que abre caminho para uma polêmica reforma da Constituição pacifista do país. As informações são da EFE.
Em um pleito antecipado marcado pela passagem de um tufão e baixa participação popular, o Partido Liberal Democrático (PLD) de Abe ficou com pelo menos 264 das 465 cadeiras da Câmara Baixa, com o qual garante a maioria absoluta do Parlamento.
A coalizão formada pelo PLD e o Komeito elegeu pelo menos 292 deputados, muito perto de obter a maioria de dois terços obtida nas eleições de dezembro de 2014, segundo dados da emissora pública NHK.
Esses resultados, que colocam Abe em seu terceiro mandato, o que o transformará no primeiro-ministro que mais permaneceu no cargo na história do Japão, também podem garantir apoio suficiente para que ele consiga realizar uma prometida reforma da Constituição.
Exército
O primeiro-ministro, de 63 anos, prometeu mudar a Constituição de 1947, escrita após a derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial, para dar um reconhecimento, até agora inexistente no texto, ao Exército do Japão, chamado de Forças de Autodefesa, e assim potencializar as capacidades militares do país internacionalmente.
Para realizar essa reforma histórica, que conta com forte oposição de parte dos japoneses e de países vizinhos, como a China e a Coreia do Sul, são necessários os votos de dois terços dos parlamentares. Depois, a medida deve ser aprovada em referendo.
"Para fazer a reforma da Constituição é preciso liderança, mas, ao mesmo tempo, compreensão do povo japonês. Farei todo o possível para conseguir o maior apoio durante essa legislatura, trabalhando com os demais partidos", disse Abe hoje após reconhecer a vitória.
O primeiro-ministro poderá, além disso, dar sequência ao ambicioso programa econômico, iniciado em 2012 e conhecido como Abenomics, que busca, através de estímulos, reformas e investimentos públicos, tirar o país da deflação crônica.
Abe convocou as eleições no fim de setembro, um ano antes do previsto, para aproveitar a fragilidade da oposição e uma alta em sua frágil popularidade graças à crise com a Coreia do Norte.
Oposição
A decisão provocou um terremoto político com o desaparecimento da principal força de oposição, o Partido Democrático (PD), que governou entre 2009 e 2012, e que estava afundado em uma intensa batalha interna após resultados eleitorais desastrosos.
Uma divisão do setor mais liberal do PD, o Partido Constitucional Democrático do Japão, foi o segundo mais votado no pleito, com 48 cadeiras, superando as expectativas, e deve comandar a oposição.
A legenda liderada por Yukio Edano baseou toda a campanha em uma fervente oposição à reforma da Constituição defendida por Abe.
Por sua vez, o Partido da Esperança, criado pouco antes das eleições pela popular governadora de Tóquio, Yuriko Koike, teve um decepcionante resultado, apesar de ter sido, em princípio, visto como uma alternativa real ao poder do PLD.
O partido de Koike, que focou a campanha na superação da velha política e defende o fechamento das usinas nucleares, tem 41 cadeiras nas projeções da NHK.
A participação dos eleitores ficou em 53,6%, segundo a emissora pública, o que representaria um leve avanço em relação às eleições de 2014, quando o índice atingiu o mínimo histórico de 52,6%.
Tufão
As eleições foram afetadas pela passagem do tufão Lan, que está provocando chuvas torrenciais e fortes ventos em grande parte do país, o que obrigou as autoridades a evacuar milhares de pessoas.
O tufão causou a morte de pelo menos duas pessoas e graves interrupções no sistema de transporte. Os horários de abertura e fechamento de algumas seções eleitorais também foram alterados. A apuração também foi atrasada em áreas de difícil acesso.

Campanha Natal sem Fome pretende arrecadar 500 toneladas de alimentos

Vladimir Platonow 
Rio de Janeiro - Ação da Cidadania lança campanha Natal sem Fome no Aterro do Flamengo(Tomaz Silva/Agência Brasil)Dez anos após sua última edição, a Campanha Natal sem Fome voltou este ano com o objetivo de arrecadar 500 toneladas de alimentos. O lançamento oficial foi neste domingo (22), no Aterro do Flamengo, no Rio, onde foi montada uma mesa de 1 quilômetro de extensão, coberta por diversos tipos de alimentos doados por empresas e grupos da sociedade civil.

O coordenador executivo do Comitê da Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida, Daniel Souza, disse que a iniciativa precisou ser retomada no país porque, com a crise política e econômica, parte da população, que tinha conseguido ficar acima da linha da pobreza, volta a ficar em risco.
“Infelizmente, o que estamos vendo é que, com a crise política e econômica, essa população que estava um pouco acima da linha da pobreza, que estava começando a se recuperar com os programas de transferência de renda, está voltando de novo a ficar em risco. Em 2014, já havia 7,2 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza, e isso foi antes da crise. Agora certamente está maior este contingente”, disse Daniel, que é filho do sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, idealizador da campanha Natal sem Fome.

Rio de Janeiro - Ação da Cidadania lança campanha Natal sem Fome no Aterro do Flamengo(Tomaz Silva/Agência Brasil)A ideia é fazer a distribuição dos alimentos arrecadados, em cestas com cerca de 10 quilos, nas semanas que antecedem o Natal. A responsabilidade pela distribuição será dos parceiros e comitês de bairros, que atuam na ponta do processo e conhecem melhor quais as famílias mais necessitadas.

A voluntária Edir Dariux Teixeira, que faz parte do comitê Servo do Senhor, em Santa Cruz, zona oeste do Rio, ressaltou que este ano é grande o número de famílias de classe média que perderam o emprego e por isso estão passando necessidades.

“Com a crise no país, passamos a atender não só as famílias na linha da pobreza, mas também as de classe média, que estão desempregadas. Tem pessoas muito desesperadas. São pessoas que não têm acesso ao Bolsa Família. Nós vamos privilegiar as famílias com maior número de filhos”, disse Edir, que trabalhou pessoalmente com Betinho e atua com voluntariado há 25 anos.

Entre as pessoas que trouxeram alimentos para doar no Aterro do Flamengo, a bancária aposentada Rosania Abrantes ressaltou que é necessário ajudar os mais necessitados, principalmente os atingidos pela crise econômica. “Está horrível a situação. A gente precisa reagir de forma rápida. É necessário remobilizar as pessoas para enfrentar este momento. Cada vez a gente vê mais pessoas morando nas ruas. Vamos precisar mudar esta situação, e o Natal Sem Fome é uma boa iniciativa para isso”, afirmou Rosania.

No Rio, o principal ponto de coleta é a sede do comitê, na Avenida Barão de Tefé, 75, no bairro da Saúde, na região portuária. Em cada estado, haverá comitês específicos, que podem ser acessados na página da campanha na internet. Empresas e até condomínios podem montar comitês arrecadadores. Pelo mesmo endereço eletrônico, é possível fazer doações em dinheiro à campanha.

Orquestra Sinfônica Brasileira volta à ativa com concerto neste domingo no Rio

Paulo Virgilio 
OSB_RobertoMinczuk_16-06-2012_15Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), uma das mais importantes do país, retoma suas atividades neste domingo, às 18h, com um concerto beneficente na Sala Cecília Meireles, na Lapa, centro do Rio, após um período de grave crise financeira. O concerto beneficente, em prol da própria fundação mantenedora da orquestra, terá como regente o maestro Roberto Tibiriçá e como solista o pianista Leonardo Hillsdorf. No repertório, obras de Chopin, Johann Strauss e Tchaikovsky.
Mais do que um retorno, a apresentação de hoje marca a conquista de dois novos e importantes contratos de patrocínio que permitiram à OSB regularizar, no início de setembro, o pagamento dos músicos, que ficaram meses sem receber salários. Ao longo dos anos de 2015 e 2016, a OSB perdeu a maior parte de seus investidores, em função da crise financeira no país, o que gerou um rombo de R$ 21 milhões e a suspensão das atividades de uma orquestra que soma mais de 5 mil concertos em 77 anos de atuação.
“Com a reestruturação executiva que promovemos recentemente, seremos capazes de apresentar ao público um trabalho absolutamente novo no mercado e na história da música sinfônica no país, focando também nos projetos de responsabilidade social”, afirmou o presidente do conselho curador da Fundação OSB, Eleazar de Carvalho Filho. Ele informou que serão anunciadas no evento de hoje as datas dos próximos concertos na Sala Cecília Meireles, espaço da Secretaria Estadual de Cultura que, a partir de agora, concentrará a temporada de apresentações da orquestra.
A Fundação OSB também firmou parceria com a Rádio MEC FM, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), para transmissões ao vivo dos concertos pela emissora e pelas redes sociais. Em entrevista ao programa Antena 1, da MEC FM, o pianista Miguel Proença, diretor da Sala Cecília Meireles, manifestou satisfação em abrigar os concertos da orquestra que marcou sua carreira musical.
“Quando cheguei ao Rio de Janeiro, ainda jovem, para estudar, não perdia os concertos da OSB. Os solistas da orquestra eram marcantes. Eu me lembro de Jacques Klein tocando em 11 concertos da OSB em um mesmo ano. Maestros maravilhosos passaram pela orquestra. Não há como uma instituição dessas desaparecer”, afirmou.
Reestruturação
A nova fase marca também o resultado de um trabalho de nove meses na reestruturação e na qualificação da gestão da fundação mantenedora da orquestra. “Implantamos importantes áreas gerenciais como a controladoria, a unidade de monitoramento de projetos e análise de conformidade legal – o que estamos chamando de ‘compliance cultural’. Procuramos estabelecer novos paradigmas de gestão, sobretudo alinhados com as mudanças da Lei Rouanet. Temos trabalhado lado a lado com o Ministério da Cultura, buscando o rigor necessário na prestação de contas dos projetos incentivados e chegamos a um sistema de gestão que pode servir de modelo para outros projetos culturais”, disse a diretora executiva da Fundação OSB, Ana Flavia Cabral Souza Leite.
Uma das novidades é o empreendimento da fundação no campo da responsabilidade social, com o projeto Conexões Musicais, que tem como proposta desenvolver os dois pilares de uma verdadeira política cultural – formação e fruição. O projeto de democratização do acesso à cultura será desenvolvido ao longo de três anos, passando por 30 cidades que já foram pré-selecionadas e propõe a música como instrumento de transformação e de envolvimento de milhares de crianças, alunos da rede pública de ensino e toda a população das localidades por onde a orquestra passa.
A reestruturação conta com o apoio dos músicos da OSB. “Sofremos muito nesse período sem salários e sem estar junto ao nosso público. O drama pessoal às vezes pesava mais do que o desejo de lutar, mas optamos por acreditar. Todos nós, músicos e administração, tiramos lições dessa crise. Hoje os músicos, através das comissões, mais do que nunca participam da gestão de forma efetiva”, disse o representante dos músicos, Nikolay Sapoundjiev.
Os ingressos para o concerto beneficente custam R$ 300, a inteira, e R$ 150, a meia-entrada. A Sala Cecília Meireles fica no Largo da Lapa, 47, no centro do Rio.

Incêndio na Chapada dos Veadeiros ainda fora de controle, diz diretor do parque

Mariana Tokarnia 
 
ICMBio combate fogo na Chapada dos VeadeirosO Incêndio que atinge o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros continua "crítico e fora de controle", informou o chefe da unidade, Fernando Tatagiba. O fogo atinge a Chapada dos Veadeiros, em Goiás, desde a última terça-feira (17). O Parque Nacional continua fechado à visitação. O incêndio chegou também a propriedades privadas.

Segundo Tatagiba, brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) tentam impedir que o fogo atinja estruturas administrativas e alojamentos do parque.  O incêndio chegou também a propriedades privadas, cujos donos procuraram o ICMBio para pedir ajuda. De acordo com o ICMBio, nem todos essesfocos tiveram origem do incêndio no parque.   
De acordo com o boletim do ICMBio de hoje (22), as principais frentes de combate ao incêndio se localizam perto do Córrego dos Ingleses, onde, se não tivesse combate, o incêndio teria ameaçado estruturas administrativas do parque e no Jardim de Maytreia, importante ponto turístico da região. O fogo atravessou a rodovia GO-239, que liga Alto Paraíso a São Jorge, provocando problemas de visibilidade e colocando a vida dos motoristas em risco.
O ICMBio diz que, até agora, 35 mil hectares (14,6%) foram atingidos. Na semana passada, outro foco de incêndio, logo controlado, destruiu cerca de 3 mil hectares.
Ao todo, mais de 200 pessoas estão envolvidas na operação, que é conduzida pela Coordenação de Combate e Prevenção de Incêndios do ICMBio. Neste fim de semana, o combate foi reforçado com a chegada de mais brigadistas do Parque Nacional do Itatiaia (RJ), do Grupo Ambiental do Torto (GAT), da Estação Ecológica da Serra Geral (TO), bombeiros de Goiás e do Distrito Federal e por mais uma aeronave.
Sem sinal de chuva, as condições climáticas estão desfavoráveis para o combate, com vento forte, temperatura de 37 graus Celsius e sensação térmica de 41 graus, o que contribui ainda mais para a expansão das chamas.
O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foi criado em 1961 e, em 2001, declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O limite de visitação diária do parque é de 500 pessoas.

Ciclista voluntário da Rodas da Paz morre após ser atropelado em Brasília

Paulo Victor Chagas 
Brasília - A organização não governamental Rodas da Paz doa bicicletas a refugiado de varios países (Antonio Cruz/Agência Brasil)O ciclista Raul Aragão, voluntário da ONG Rodas da Paz, morreu neste domingo (22) após ter sido atropelado enquanto pedalava na Asa Norte, em Brasília. Defensor da bicicleta como forma de mobilidade e mobilização contra a violência no trânsito, Raul foi atingido por um carro por volta das 14h de ontem (21).

Socorrido, ele chegou a passar por procedimentos médicos, mas não resistiu e faleceu na manhã de hoje (22), enquanto estava internado na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital de Base do Distrito Federal.
As condições do atropelamento ainda não foram completamente esclarecidas. De acordo com a Polícia Civil do DF, o condutor do veículo é um jovem de 18 anos que, por solicitação do pai, irá depor em outro momento, pois estava “muito abalado” após o ocorrido. O ciclista foi conduzido ao hospital em estado grave e desacordado.
Raul Aragão, de 23 anos, era estudante de sociologia na Universidade de Brasília e gostava de usar somente a bicicleta para se locomover. De acordo com Bruno Leite, coordenador da ONG Rodas da Paz, Raul acreditava que Brasília tem condições de ser uma cidade para todos, onde pedestres, ciclistas e motoristas de veículos circulem em harmonia. A 2ª Delegacia de Polícia é responsável pela investigação do caso.
“A gente fica indignado com uma sociedade igual à nossa que é capaz de produzir uma morte dessas num sábado a tarde”, lamentou Leite, informando que o ciclista atuava em dois projetos voluntários pela organização: o perfil dos ciclistas em pequenas cidades e uma contagem do número de usuários de bicicleta do Distrito Federal.

Sobre um desses trabalhos, o próprio Raul Aragão chegou a postar uma foto no seu perfil do Facebook no dia 16 de agosto, com o seguinte comentário: “Hoje eu acordei às 4h45 para realizar uma pesquisa de fluxo de ciclistas na Cidade Estrutural. Ao fim do dia, quando o cansaço e o estresse já estavam no ápice, eu vi esse ciclista que saiu para pedalar com as duas filhas, a mais nova na cadeirinha no guidão e a mais velha na garupa. Ao subirem a passarela, o pai deixa as duas filhas descerem da bicicleta, assiste ao pôr do sol, dá meia volta e segue provavelmente para casa. Eles não sabem, mas naquele momento foi como se eu tivesse largado todo peso das minhas costas e pego carona na garupa com eles.”
Segundo o colega de ciclismo de Raul, fatalidades como essa levantam a discussão sobre os limites de velocidade em determinadas ruas, já que na Avenida L2, onde aconteceu o atropelamento, os carros podem chegar a até 60 quilômetros por hora. “A L2 atravessa acidade e passa por escolas, hospitais, universidades. A gente não tem informações sobre as condições do acidente. Mas pensando em uma cidade que seja apta para pedestres e ciclistas, temos que discutir essas questões de limite de velocidade. Se a gente quer ter uma cidade para todos, com mais segurança, temos que trabalhar essa questão dos limites de velocidade, que às vezes você pode evitar uma morte”, disse, referindo-se a uma orientação da Organização Mundial da Saúde de que vias como essa deveriam ter limite máximo de 50 Km/h.
Além de participar de competições de ciclistas em diferentes cidades brasileiras e eventos com bicicletas de rodas fixas, Raul Aragão também era adepto de ações como o Pedalando Contra as Drogas 2017, que aconteceu em setembro no Recife. Em recente postagem na rede social, o estudante descreveu o amor pela atividade e, ao mesmo tempo, o medo que os ciclistas sentem ao andar nas ruas das grandes cidades brasileiras. “Perigoso é essa galera dirigindo que nem doido, andar de bike é suave”.

Homenagem
Até o momento, não há informações sobre velório e sepultamento do corpo de Raul, que ainda não foi liberado do Instituto Médico-Legal.

A organização não governamental (ONG) Rodas da Paz marcou para a próxima sexta-feira (27), às 19h, uma Bicicletada Nacional em homenagem a Raul e a todas as vítimas da violência no trânsito. Além de Brasília, três cidades já confirmaram participação no ato: Recife, Salvador e Porto Alegre.
“Em todas as fotos, você está ou sorrindo ou compartilhando – carinho, informação, sua energia super positiva –- ou, na maioria das vezes, as duas coisas ao mesmo tempo. Valeu demais, Raulzito, um dos voluntários mais queridos e participativos da Rodas da Paz e de outros grupos voluntários”, escreveram os membros da ONG, também no Facebook.

Mutirão consegue devolver ao mar baleia que encalhou na Região dos Lagos

Paulo Virgilio 
Um mutirão que envolveu cerca de 30 pessoas conseguiu, por volta das 15h deste domingo (22), devolver ao mar uma baleia da espécie jubarte que encalhou na noite de sábado (21) na Praia Grande, em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos fluminense. A operação para a liberação do animal, de cerca de 7 metros de comprimento e peso estimado em 4 toneladas, começou na manhã de hoje.
Segundo informação do Corpo de Bombeiros, a operação envolveu agentes da corporação, da Guarda Marítima Ambiental e da Defesa Civil, além de biólogos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). O mutirão contou com a ajuda de uma retroescavadeira, para cavar um buraco na areia, a fim de que a baleia continuasse a receber água do mar. Um cinturão foi formado para afastar os banhistas do local, até o fim da operação.
Na última semana de agosto deste ano, três baleias jovens da espécie jubarte, de cerca de 1 ano de vida, encalharam em três pontos diferentes do litoral fluminense. A primeira delas foi na Praia Rasa, em Búzios, na Região dos Lagos, a segunda na Baía de Sepetiba, na zona oeste do Rio, e a terceira na Praia do Sul, na Ilha Grande, no litoral sul do estado.

Temporada de cruzeiros começa dia 29 e deve trazer 380 mil turistas ao Rio

Ana Luiza Vasconcelos
Transatlânticos chegam trazendo 20 mil turistas previstos para acompanhar o réveillon de Copacabana, movimenta o Terminal Internacional de Cruzeiros Pier Mauá, na zona portuária (Fernando Frazão/Agência Brasil)A temporada de cruzeiros 2017/2018, que tem início no próximo dia 29, promete movimentar o Píer Mauá, na zona portuária do Rio, podendo trazer até cinco navios para a cidade em um mesmo dia. De acordo com a Secretaria de Estado de Turismo, são esperadas mais de 380 mil turistas na cidade até abril do ano que vem, quando termina a temporada.
O secretário de Turismo, Nilo Sergio Felix, destacou a importância dessa época do ano para a cidade lembrando que o Rio de Janeiro recebeu o título de Melhor Porto de Cruzeiros da América do Sul por seis anos consecutivo pela Travel Weekly (portal de notícias e publicações da indústria turística).

Ele ressaltou a relevância da temporada ao falar sobre o impacto na economia da cidade causado pelos gastos dos turistas trazidos pelas embarcações. "De acordo com estudo da Clia Brasil [Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos] e da Fundação Getúlio Vargas [FGV], na temporada 2016/2017, cada viajante gastou, em média, R$ 559,80, nas cidades de escala. A pesquisa mostrou ainda que o impacto econômico desse segmento na economia do Brasil na última temporada foi de R$ 1,607 bilhão", disse o secretário.
A temporada 2017/2018 está começando com um mês de antecedência e, de acordo com a programação, o auge será no dia 11 de fevereiro, quando cinco transatlânticos chegarão para o carnaval de 2018.
Das 94 atracações programadas, 23 são de cruzeiros internacionais, operando com 18 embarcações. As 71 escalas restantes são nacionais, atuando com sete navios.

Edital fortalece projetos feministas em todo o Brasil

Akemi Nitahara
Formação política feminista com lideranças do movimento de trabalhadoras domésticas em Nova Iguaçu e Volta Redonda, no Rio de Janeiro; formação de uma rede de mulheres ciclistas e ativistas por um meio de transporte sustentável e democrático em São Paulo; capacitação de mulheres quilombolas do Maranhão para enfrentamento à violência e liberdade dos territórios; instalação e manutenção de uma rádio comunitária indígena com as guerreiras Pankararu de Pernambuco.

Estes foram alguns dos projetos contemplados pelo Building Movements – Feminismos Contemporâneos, cujo resultado foi divulgado na semana passada. Ao todo, serão R$ 350 mil reais distribuídos a 14 projetos de fortalecimento de iniciativas feministas em todo o Brasil, selecionados por meio de edital pelo Fundo ELAS de Investimento Social. Entre 645 projetos inscritos, foram escolhidas propostas inovadoras que mobilizam mulheres em busca de seus direitos, com necessidades reais, urgentes e estratégicas.
Segundo a coordenadora-geral do fundo, Amalia Fischer, a instituição trabalha há 17 anos na mobilização de recursos “para que as mulheres possam executar projetos ou iniciativas inovadoras, pequenos negócios e negócios sociais, e possam também ter acesso a tecnologias”. Ela explica que este foi o primeiro edital do tipo no país, que distribuiu recursos para um número grande de projetos, e será usado como modelo para outros países da América Latina, além de ter parcerias com o Reino Unido.
“Esse projeto de apoio às trabalhadoras domésticas, é para que elas tenham possibilidade de se capacitar e articular campanhas por seus direitos. Ao mesmo tempo vamos fazer uma parceria com o London School of Economics, do Reino Unido, muito interessante porque uma das questões de nossa parceria é que os movimentos de mulheres do Brasil possam ter contato com as mulheres do Reino Unido. Esse edital não é unicamente para ser feito no Brasil. Os fundos da América Latina vão seguir esse modelo que estamos fazendo com o British Concil – isso é muito inovador porque vai haver um intercâmbio. As primeiras vão ser as trabalhadoras domésticas de Nova Iguaçu”, acrescentou.
Amália destaca a importância do financiamento para os projetos de empoderamento feminino, na busca da igualdade de gênero no país. “As mulheres não têm recursos porque isso tem a ver com a questão da desigualdade e iniquidade entre homens e mulheres. Por isso, elas não têm tanto acesso aos recursos como os homens. De fato, você vê isso nos salários e vê a relação entre os salários de homens e mulheres, elas ganham muito menos do que os homens e estão muito mais preparadas. Nas universidades, muito mais mulheres se graduam do que os homens, mas mesmo assim elas tem menos acesso aos recursos”.
Articulação nacional
Um dos projetos contemplados foi o Mulheres Negras pelo Bem Viver: Fortalecendo a luta no Contexto Pós-Marcha, da Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB). Segundo a coordenadora executiva, Valdecir Nascimento, a entidade reúne 35 instituições de mulheres negras em todo o Brasil, e o recurso será utilizado para promover reuniões e seminários nos quais serão traçadas as estratégias do movimento para o próximo ano.
“Fizemos a Marcha das Mulheres Negras em 2015, em Brasília, e tivemos uma avaliação em 2016. Tínhamos a expectativa de fortalecer as regiões a partir do que a marcha trouxe, para retroalimentar esse processo de crescimento das organizações de mulheres negras. Aí vem essa crise braba, que exige de nós uma reação permanente sobre esse desmonte que está acontecendo no Brasil, retrocessos e perda de direitos e violações de direitos humanos. E também [precisamos] consolidar o nosso processo de organização nacional. Então, ficamos sem apoio e sem dinheiro e precisando nos reunir para montar algumas estratégias”, disse Valdecir.
Ela informou que a Articulação está organizando mobilizações para a juventude, no próximo dia 26, e para a saúde da população negra, no dia 27, além do 20 de novembro, com foco no combate ao feminicídio. Para o ano que vem, o objetivo é fazer uma grande articulação para o Fórum Social Mundial, que ocorrerá de 13 a 17 de março em Salvador. “A gente quer produzir um pacto significativo dentro do Fórum Social Mundial, para chamar a atenção para as coisas que dizem respeito não só ao retrocesso no Brasil, mas como isso afeta a população negra de uma forma muito mais contundente.”
Negras na comunicação
Outro projeto contemplado, o #PRETAS_HUB, da organização carioca #AZ_Pretas, vai trabalhar com formação feminista em comunicação e tecnologia. Será organizada uma rede de colaboração entre negras e indígenas empreendedoras digitais, youtubers, blogueiras, coletivos de produção audiovisual e realizadoras independentes.
De acordo com a coordenadora da iniciativa, Aline Lourena, serão trabalhadas quatro vertentes. “A primeira, que é de formação, de 20 mulheres, voltada para a produção de audiovisual na web – aprender a produzir vídeos e finalizá-los, isso é uma demanda. Tem uma exposição fotográfica, feita por fotógrafas negras do projeto Amar é Ver, que são só mulheres do Complexo da Maré que fotografam. Tem uma rodada de negócios para projetos do audiovisual e de comunicação que serão apresentados para agências, produtoras e canais de televisão. E também tem os ciclos de debate, onde a gente debate empreendedorismo, feminismo negro, representatividade.”
O projeto vai ser executado na Casa das Pretas, que fica na Lapa, na semana do 8 de março, Dia Internacional da Mulher, “para chamar a atenção para outras diversidades de mulheres”, diz Aline. Também será produzida, a partir da formação, uma websérie documental de oito episódios com mulheres que estão trabalhando na internet, na engenharia e outras áreas tecnológicas. “Em geral, associam-se as mulheres negras e indígenas ao artesanato, à culinária. E tem uma série de outras coisas, tem programadora, design, muita gente fazendo muita coisa fora desse censo mais comum onde a gente é sempre vista”, explica a coordenadora.
De acordo com Aline, o trabalho da organização é conectar mulheres da comunicação com as mulheres do afroempreendedorismo, utilizando o conhecimento na produção de vídeo que chegar a uma sustentabilidade financeira. “A gente está pensando sempre as duas coisas. O vídeo como ferramenta de empoderamento, de criação de autoestima, de identidade, mas também como ferramenta de sustentabilidade econômica, de gerar uma cadeia de serviços, de produtos. Porque senão a gente fica só se afirmando e sem dinheiro no bolso. Assim não funciona. Então o empoderamento tem que ser estético e também financeiro, pra gente poder criar uma cadeia de consumo sustentável.”
O edital Building Movements – Feminismos Contemporâneos resulta de uma aliança em defesa dos direitos das mulheres feita entre British Council, ONU Mulheres, Open Society Foundations, OAK Foundation, Global Fund for Women e Fundo ELAS. Cada projeto vai receber R$ 25 mil.

Votação da denúncia contra Temer deve dominar debates desta semana na Câmara

Iolando Lourenço
Brasília - CCJ da Câmara aprova por 39 votos favoráveis, 26 contrários e 1 abstenção o parecer do deputado Bonifácio de Andrada pela inadmissibilidade da denúncia da PGR contra o presidente Temer e os ministros A discussão e votação do parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que é contra a admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral, Moreira Franco, vão dominar os debates desta semana na Câmara dos Deputados. A votação do parecer, que foi aprovado na Comissão de Constituição e de Justiça (CCJ) por 39 votos a 26, com uma abstenção, está prevista para quarta-feira (25), e a sessão começa às 9h.
Na denúncia apresentada pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot, em setembro, o presidente da República é acusado de ser um dos líderes de uma organização criminosa que atuava na Câmara. Os dois ministros são apontados como integrantes do grupo.
Embora o governo precise de 172 votos, ou seja, o voto de um terço mais um dos 513 deputados, para impedir que a Câmara autorize o Supremo Tribunal Federal (STF) a investigar o presidente da República e os ministros, líderes aliados do governo intensificam os trabalhos em busca de um número expressivo de apoios ao parecer de Bonifácio de Andrada, que é contra a autorização de abertura de investigação. Os governistas também trabalham para que compareça à votação um grande número de deputados.
De acordo com as normas divulgadas pela Câmara, iniciada a ordem do dia, o relator Bonifácio de Andrada terá 25 minutos para falar. Em seguida, os três advogados de defesa terão também 25 minutos para apresentar suas justificativas. Os deputados que se inscreverem para discutir a denúncia terão 5 minutos, cada um, com alternância entre parlamentares contra e a favor do parecer. Depois que quatro deputados falarem é permitida a apresentação de requerimento de encerramento das discussões, o qual será votado, desde que haja pelo menos 257 parlamentares no plenário. A aprovação se dará por maioria dos presentes.
Concluída a discussão, será iniciada a fase de votação, desde que no mínimo 342 deputados tenham registrados presença no painel eletrônico. A partir daí, será concedida a palavra por 5 minutos a dois oradores contrários ao parecer e dois favoráveis, alternadamente, para o encaminhamento da votação. Em seguida, inicia-se a orientação de votação das bancadas, na qual cada líder tem direito a 1 minuto de fala.
A votação será por chamada nominal, por ordem alfabética, por estado, alternadamente do Norte para o Sul e vice-versa. Concluída a votação e tendo votado ao menos 342 deputados, será proclamado o resultado. Para que a Câmara autorize o STF a iniciar as investigações contra o presidente e os ministros são necessários, no mínimo, 342 votos contrários ao parecer de Andrada.
Outras votações
Além da análise da denúncia, está na pauta da Câmara a votação na terça-feira (24) do projeto de lei complementar que inclui municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo na área de abrangência da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) em função das condições climáticas semelhantes às do Semiárido. De acordo com o projeto, serão acrescentados na área da Sudene 81 municípios de Minas e dois do Espírito Santo, que passarão a contar com recursos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE).
Vetos
Também na terça-feira está prevista realização de sessão do Congresso Nacional para a votação de seis vetos presidenciais feitos a projetos de lei aprovados pelo Parlamento e também a votação de 13 projetos para a abertura de créditos adicionais orçamentários para atendimento a diversos setores públicos.

Ônibus da banda Grafith se envolve em acidente na BR-304

Na manhã deste domingo (22), por volta das 11h, aconteceu um acidente envolvendo o ônibus da banda Grafith. Segundo informações, o ônibus seguia na BR-304 e ao chegar nas proximidades de Santa Maria, a barra de direção teria quebrado e o motorista teria perdido o controle do veículo que saiu da pista. Apesar do susto, os danos foram apenas materiais, ninguém ficou ferido. Do Focoelho!

Anatel debate TAC da Oi em reunião extraordinária na segunda-feira

Luciano Nascimento 
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai se reunir na segunda-feira (23) para deliberar a respeito dos termos de Ajustamento de Conduta (TACs) da emresa de telefonia Oi. Em processo de recuperação judicial, a Oi acumula dívidas de R$ 64 bilhões em bônus, dívidas bancárias e responsabilidades operacionais. A reunião extraordinária será fechada, com caráter sigiloso.
Uma eventual renegociação dos termos firmados nos TACs junto à Anatel poderia abrir caminho para a aprovação do plano de recuperação judicial. Na próxima segunda, a agência vai analisar processos referentes ao montante de R$ 4,8 bilhões. O valor é maior do que o do primeiro TAC da empresa, de R$ 1,2 bilhão, cuja tramitação foi suspensa pelo Tribunal de Contas da União (TCU), justamente pelo fato de a Oi estar em recuperação judicial.
A Anatel e a Oi travam uma batalha judicial em torno das dívidas da empresa junto à agência reguladora. O centro da disputa é a inserção do valor das multas, conseguido na Justiça pela Oi, no endividamento total da companhia. O montante é estimado em mais de R$ 11 bilhões.
A agência, por meio da Procuradoria-Geral Federal, órgão da Advocacia-Geral da União (AGU), contestou a decisão do Tribunal de Justiça do Rio, que a incluiu na Assembleia Geral de Credores da Oi, submetendo créditos das multas ao plano de recuperação judicial da tele, com o argumento de que a inclusão representa risco à ordem e à economia pública.
A Anatel chegou a encaminhar, no início do mês, um pedido para que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) analise a retirada de seus créditos com a Oi do processo de recuperação judicial. “Conforme destacado, a Anatel é credora de aproximadamente R$ 11 bilhões e está enquadrada, no Plano de Recuperação Judicial apresentado, na Classe III de credores (credores quirografários), a qual abrange aproximadamente R$ 60 bilhões de créditos.
Isso significa que, se os seus créditos se submeterem à Assembleia Geral de Credores, a Oi sequer conseguirá impedir a aprovação do Plano pela Classe de Credores na qual foi enquadrada, haja vista que o voto nessa classe considera o montante dos créditos e os demais credores detêm aproximadamente R$ 48 bilhões”, disse o pedido encaminhado ao STJ.
A corte, entretanto, negou o pedido no dia 3. Na decisão, a ministra Laurita Vaz, presidente do STJ, disse que a Anatel errou o tipo de pedido protocolado. A magistrada, disse que foi descabido o uso do instrumento da via suspensiva para conseguir a tutela negada antes pela Justiça do Rio. Portanto, o ato impugnado – inclusão da Anatel como credora quirografária – não constitui cautela judicial, mas ato administrativo", argumentou a magistrada.
A Anatel informou que vai recorrer. Nessa quarta-feira (18), a Anatel nomeou Carlos Baigorri para representar a agência na Assembleia Geral de Credores. Caso tenha que votar na assembleia, Baigorri já foi orientado a votar contra o novo plano de recuperação.
Plano
Em relação às dívidas com a Anatel, a Oi propõe a negociação da dívida por meio de dois caminhos: negociação de acordos (TACs) para conversão de multas em investimentos e parcelamento em até 20 anos, com correção pelo IPCA, com entrada de 20%, deduzido de depósitos judiciais.
Além disso, o plano de recuperação judicial, que altera as condições para a negociação com credores prevê uma capitalização de R$ 9 bilhões. Desse total, parte viria da conversão de dívidas em participação acionária, cerca de R$ 3,6 bilhões; R$ 3,5 bilhões em dinheiro aportado por bondholders (detentores de títulos) e R$ 2,5 bilhões vindos dos acionistas.
A Oi trabalha para conseguir um consenso entre acionista, bondholders e credores para que a proposta possa ser colocada em votação durante a assembleia. "Com a capitalização, o patamar de investimento anual da companhia passará de R$ 5 bilhões ao ano para aproximadamente R$ 7 bilhões ao ano, pelos próximos três anos”. “O adicional de investimento a ser feito anualmente será destinado a projetos de expansão de fibra ótica, aumento da cobertura 4G, projetos de digitalização e TI", disse a empresa ao protocolar o plano na Justiça.
Além disso, a Oi disse que vai negociar com os bondholders, que reúnem montante superior a R$ 22 bilhões de créditos da Oi. "A companhia já assinou acordos de confidencialidade com representantes destes grupos e iniciou discussões para buscar aprovação do plano de recuperação da Oi", disse a tele.
Mas a notícia desagradou um grupo formado por credores e detentores de papeis da Oi que soltou nota rejeitando o plano de recuperação. Na nota, divulgada na sexta-feira (13), o grupo disse que o plano visa proteger os atuais acionistas.
“[O plano] parece ter como objetivo somente proteger e aumentar os interesses dos atuais acionistas, em detrimento do melhor interesse da Companhia e demais partes interessadas”, diz a nota assinada pelos dois maiores grupos de credores da Oi, o Oi Creditors Groups e o grupo representado pela FTI Consulting que, juntos, têm a receber cerca de U$ 6,4 bilhões, cerca de R$ 22 bilhões.
Segundo os credores, o plano de recuperação apresentado pela Diretoria e Conselho de Administração da Oi "ignora preocupações fundamentais dos credores, ameaçando a viabilidade da companhia no longo prazo e enriquecendo abusivamente os atuais acionistas".

Menino vítima de ataque em escola de Goiânia recebe alta

Samanta do Carmo 
O estudante Hyago Marques de 13 anos que estava internado após ser baleado por um colega de classe no Colegío Goyazes, em Goiânia, recebeu alta na manhã deste domingo (22). O boletim médico foi divulgado por volta das 9h pelo Hospital de Urgências da cidade, onde outras duas vítimas seguem internadas.
Até ontem, Isadora de Morais, uma das meninas atingidas, estava em estado grave, com os dois pulmões perfurados e respirando com ajuda de aparelhos. A pedido das famílias, as informações sobre o estado de saúde dela e de Marcela Rocha Macedo, outra menina ferida, não serão mais divulgadas pelo hospital. Uma quarta vítima, Lara Fleury Borges, se recupera bem no Hospital de Acidentados. Ela sofreu um tiro no punho.
Na manhã de sexta-feira (20), um adolescente de 14 anos, filho de um policial militar, abriu fogo contra colegas em sala de aula matando dois – João Vitor Gomes e João Pedro Calembo, ambos de 13 anos – e deixando quatro jovens feridos. De acordo com as investigações, ele agiu motivado por bullying e disse ter se inspirado nos casos de Columbine, nos Estados Unidos, e Realengo, no Rio de Janeiro, em que atiradores também abriram fogo dentro de escolas.
O adolescente autor do ataque teve a internação provisória por 45 dias determinada pela Justiça na noite de ontem. Apesar da juíza Maria Moreno Senhorelo, que estava de plantão, ter determinado que o jovem fosse encaminhado imediatamente para o Centro de Internação Provisória de Goiânia, o destino dele é incerto devido à falta de um local onde possa permanecer isolado.

Rodízio emergencial deixa áreas de Brasília sem água por 48 horas

Mariana Toakarnia 
Um rodízio emergencial neste final de semana deixa áreas do Distrito Federal sem abastecimento de água por dois dias, de acordo com nota divulgada hoje (22) pela Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). A empresa está enfrentando dificuldades para abastecer a população de Brazlândia, cidade satélite que fica a 36 quilômetros (km) do centro de Brasília.
De acordo com a nota, no principal córrego de abastecimento da região, o Barrocão, que também é utilizado para irrigação de agricultura, a Caesb sofreu redução de 30 litros por segundo (l/s) na captação de água, que estava em torno de 70 l/s para cerca de 40 l/s.
"Com essa vazão, a Caesb não consegue acionar nenhuma das duas bombas, que são utilizadas para garantir o abastecimento da região", diz o texto. A outorga concedida pela Adasa para a Caesb captar e abastecer toda a cidade de Brazlândia é de 104 l/s.
Devido à situação, a Caesb começou a fazer um rodízio emergencial em algumas áreas, suspendendo o abastecimento de algumas ao meio-dia de sexta-feira (20), com previsão de retorno hoje à noite. Outras áreas foram fechadas às 18h de ontem (21), com previsão de retorno amanhã (23) à noite.
"A Caesb alerta para a necessidade de se continuar a exercer um consumo consciente e adequado da água de forma a manter e ajudar na melhoria do sistema como um todo", ressalta a companhia.
Rodízio prolongado
Devido à falta de chuvas no DF, na sexta-feira (20) a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) autorizou a ampliação do racionamento no Distrito Federal das atuais 24 horas de suspensão de abastecimento para 48 horas.
A Caesb afirma que a medida não será aplicada imediatamente e que a população será notificada com antecedência. Apesar da Caesb tentar ao máximo adiar o início desse sistema de rodízio, há a possibilidade de que a suspensão de abastecimento de dois dias seja estendida a todo o DF.
A suspensão desse final de semana ainda não faz parte do plano de 48 horas que ainda será encaminhado para a aprovação da Adasa amanhã.
Veja as áreas suspensas em Brazlândia:
– Vila São José 35 a 58, Setor Veredas 03 a 06, Setor Norte Quadras 02 e 12, Áreas Especiais e Setor de Oficinas. Nestas áreas, o abastecimento foi fechado ao meio dia de sexta-feira. Previsão de abertura para a noite de hoje, com estabilização ao longo da noite.
– Setor Sul: Quadras 01, 02 e 04; AE 01; Setor Norte Quadras 01, 03, 04, 06, 07, 08 e 10; entrequadras 02/04 e 06/08;
– Bairro Veredas: quadras 01, 02, 03 (conjs. A, B, C, D) e 04 (conjs. A, B, C, D, E e L);
– Setor Tradicional: Qds 01 a 29; AEs 01 a 07.
– Setor de Oficinas
Nestas áreas, o abastecimento foi suspenso às 18h do dia de ontem (21), com previsão de retorno para a noite de amanhã (23). A estabilização da rede ocorrerá ao longo da noite.

País ganha indicador para medir seu patrimônio natural

Yara Aquino
Alto Paraíso de Goiás (GO) - Cachoeira conhecida como Cariocas, no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (Marcelo Camargo/Agência Brasil)Em meio a índices para medir o crescimento econômico, taxas de emprego, desemprego e inflação, o Brasil terá também um sistema para mensurar o patrimônio natural. Será o Produto Interno Verde (PIV) que levará em conta recursos naturais como florestas, águas e fontes de energia.
Na última quarta-feira (18), o presidente Michel Temer sancionou um projeto de lei aprovado no Congresso Nacional e tornou lei o cálculo do PIV.
Segundo o presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Roberto Olindo, o PIV fará parte de um extenso sistema macroeconômico de contas do país. Para obtê-lo, será necessária uma descrição detalhada dos recursos naturais como florestas, água e fontes de energia de forma a tornar possível mensurar o impacto das atividades produtivas e do crescimento econômico do país sobre esse patrimônio ecológico. Com base em tais informações, serão traçadas estratégias de desenvolvimento sustentável.
Olinto informou que o levantamento das riquezas naturais será feito em parceria entre o IBGE e órgãos de cada setor como a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Serviço Florestal Brasileiro e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), entre outros.
“O PIV vai refletir a economia, o que é gerado no ano, porém, considerando o quanto se consumiu não só de máquinas e de equipamentos, mas o quanto se consumiu de recursos naturais, o que é uma informação-chave para o planejamento”, explicou.
Ele disse que hoje não se conhecem bem os impactos ambientais no país. "Esse sistema é para prover o país de uma descrição bastante extensa dos recursos naturais, de que maneira eles são afetados pelo desenvolvimento econômico, ou seja, permitindo uma visão melhor do desenvolvimento sustentável.”
Como exemplo prático, o presidente do IBGE citou a água. Para Olinto, é fundamental saber o estoque de água disponível no país, como ela é consumida pela atividade econômica e pelas famílias e de que forma o impacto do crescimento se dará sobre o esgotamento ou a ampliação desse ativo natural. Segundo Olinto, a conta da água é o item para entrar na composição do PIV que está em estágio mais avançado.
A Lei 13.493, que criou o PIV, determina que o cálculo do índice seja formatado em ampla discussão com a sociedade e órgãos públicos. Prevê também que seja calculado pelo IBGE e divulgado anualmente, se possível. Por envolver aspectos tão abrangentes e complexos, não é possível definir uma data para o início da divulgação do PIV, ressaltou Olinto.

Alto Paraíso de Goiás (GO) - Borboleta no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, no município de Alto Paraíso (Marcelo Camargo/Agência Brasil)O ministro Sarney Filho destacou a importância do índice para fortalecer as ações de desenvolvimento sustentável no país. “O Brasil só tem a ganhar com essa lei, porque nos dá um norte visível de que estamos caminhando para essa economia de valorização do bem ambiental”. E completou “Estamos lutando para que essa política que valoriza o bem ambiental seja uma política adotada globalmente”.
A lei que criou o PIV detalha que é importante formatar um modelo de cálculo que torne possível a comparação com iniciativas semelhantes desenvolvidas por outros países.
O projeto de lei do PIV foi apresentado em 2011 pelo deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) que, na justificativa, fundamenta que para calcular as riquezas do país como, ocorre no Produto Interno Bruto (PIB), não pode ser deixada de fora a biodiversidade, visando sua valorização e preservação. Inicialmente, o projeto usava a nomenclatura PIB Verde para o novo dado a ser produzido.

Educação básica: Impa realiza atividades para mostrar outro lado da matemática

Jonas Valente 
O Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), sediado no Rio de Janeiro, vai promover uma série de atividades voltadas a estudantes da educação básica entre os dias 25 e 27 deste mês. A iniciativa faz parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) e ocorre em todo o país de 23 a 29 de outubro, conforme programação no site do evento.
Neste ano, o tema escolhido para a Semana foi A Matemática Está em Tudo. O Impa é considerado um centro de ensino de pós-graduação de referência na América Latina. Pela sua importância, o Instituto atua como espécie de patrono da SNCT.
A Semana se insere no Biênio da Matemática (2017-2018), período marcado pela realização de outros eventos importantes. A Olimpíada Internacional de Matemática ocorreu em julho deste ano no Rio de Janeiro. Já o Congresso Internacional de Matemática está previsto para agosto de 2018.
O objetivo da escolha do tema nesta Semana Nacional é contribuir para desmistitificar a disciplina, mostrando cálculos, equações, modelos e outros conteúdos de forma diferente. Pesquisadores do Impa realizarão palestras para apresentar temas importantes traduzindo de forma a facilitar o entendimento dos alunos.
Serão oferecidas também oficinas abordando temas como uso da matemática no origami, resolução de forma mais rápida do cubo mágico (que vai explicar a relação do objeto com a álgebra, a análise combinatória e as simetrias), Torre de Hanói (jogo matemático antigo semelhante a um quebra-cabeças) e criação de figuras geométricas com canudos.
Outra maneira de apresentar a temática será por meio da exposição de figuras de objetos em três dimensões (3D), que ganhou o nome de Imaginarie. O intuito é ilustrar problemas e assuntos relacionados com a disciplina por meio das figuras. Também serão exibidos filmes sobre a disciplina.
Para Roberto Imbuzeiro, pesquisador do Impa e um dos palestrantes escalados, as atividades alternativas são para despertar o interesse dos estudantes. “Muitos alunos olham para as carreiras de ciência como coisas chatas, enfadonhas, difíceis. A Semana e essas atividades são oportunidades de tomar contato com coisas fascinantes”, diz.
Exposição em Brasília
O Impa também será uma das 70 instituições com um estande na feira da Semana Nacional em Brasília, no Pavilhão de Exposições da cidade. O espaço terá 70 mil metros quadrados no centro da capital do país, ocupado por diversas organizações de ensino e pesquisa nas mais variadas áreas com atrações para os alunos de mais de 90 escolas do Distrito Federal.
Uma delas será o protótipo de um avião de combate, Gripen NG, que será usado como caça pela Força Aérea Brasileira. Também haverá veículos da Marinha e do Exército, além de palestras, aulas e jogos. A feira ficará aberta ao público entre os dias 23 e 29 de outubro, das 8h30 às 18h.

Escolas têm até novembro para avaliar alunos para programa Mais Educação

Sabrina Craide 
Brasília No quadro-negro da sala de aula da professora Elieth Portilho estão fotos de pássaros e frutas do Cerrado. As cartilhas falam de temas rurais e práticas do campo e foram elaboradas pela professora e os O Ministério da Educação (MEC) prorrogou o prazo para que as escolas façam a avaliação dos estudantes inscritos no Novo Mais Educação e lancem os resultados no sistema de monitoramento do programa. O prazo, que terminaria na semana passada, vai até 17 de novembro. No total, são cerca de 4 milhões de alunos participantes, em 38 mil escolas de todo o país.
Segundo o MEC, a avaliação é importante para ajustar o programa e para que os professores possam ter um parâmetro de onde os alunos estão na aprendizagem e também para avaliar o resultado de suas práticas pedagógicas em sala de aula.
O Programa Novo Mais Educação é uma estratégia do MEC para melhorar a aprendizagem em língua portuguesa e matemática no ensino fundamental, com a ampliação da jornada escolar de crianças e adolescentes. A prioridade é para alunos que tenham mais dificuldades de aprendizagem e escolas com baixos indicadores educacionais.
Estsa é a segunda avaliação realizada pelo programa. A primeira, que ocorreu entre abril e julho deste ano, teve o cadastro de 35 mil escolas. Os estudantes fizeram avaliações de língua portuguesa e matemática extraídas do próprio sistema.

ONU eleva para mais de 600 mil número de refugiados rohingyas em Bangladesh

Da EFE
Refugiados rohingya recém-chegados ao campo de Cox s Bazar, em BangladeshA ONU disse neste domingo (22) que o número de refugiados rohingyas que fugiu de Mianmar para Bangladesh desde o último dia 25 de agosto já ultrapassa os 600 mil, depois da chegada de 14 mil pessoas dessa minoria muçulmana na última semana. As informações são da EFE.
O Grupo de Coordenação Intersetorial da ONU estima que 603 mil membros da minoria estejam em Bangladesh, sendo que a maioria deles, cerca de 325 mil, estão no acampamento principal de Kutupalong.
A ONU classificou a situação como uma "emergência humanitária crítica" e afirmou que os refugiados, após esgotarem seus recursos na viagem, dependem de ajuda para comer e sobreviver.
Por causa do rápido êxodo, os serviços básicos que já existiam estão sob pressão e há risco de surgimento de focos de doenças devido à ausência de água potável e instalações sanitárias em muitos dos acampamentos espontâneos erguidos pelos próprios rohingyas.
Os recém-chegados continuam indo em direção a Cox's Bazar, o distrito mais próximo da fronteira com Mianmar e onde os rohingyas estão se concentrando. Muitos deles, no entanto, estão indo para um terreno que o governo de Bangladesh destinou para um novo campo.
Porém, nesse novo local, não há ainda nenhum serviço básico, nem a infraestrutura necessária para receber os refugiados, disse a ONU.
A crise dos rohingyas começou no último dia 25 de agosto, após um ataque de um grupo insurgente desta minoria muçulmana contra instalações das forças de segurança de Mianmar no estado de Rakhine, uma ação que foi respondida pelo Exército com uma campanha que ainda está em andamento na região.
Mianmar não reconhece os rohingyas como cidadãos do país. Já Bangladesh, onde antes da crise já viviam cerca de 300 mil membros desta minoria, os tratou sempre como estrangeiros.

Eleições confirmam avanço do populismo anti-UE na República Tcheca

Da EFE
Os resultados finais das eleições realizadas na República Tcheca divulgados neste domingo confirmam o avanço de partidos contrários ou críticos da União Europeia, especialmente após a vitória da Aliança de Cidadãos Descontentes (ANO), do milionário populista Andrej Babis. As informações são da agência EFE.
Babis, que é investigado por uso fraudulento de recursos públicos europeus, melhorou em 11 pontos percentuais o resultado obtido em 2013 e seu partido conquistou 29,64% dos votos - 78 das 200 cadeiras do parlamento -, segundo o Escritório Estatístico Tcheco.
Os conservadores do Partido Democrático Cívico (ODS), que assim como o ANO rejeitam ter o euro como moeda e criticam um maior poder da UE, ficou com 11,32% dos votos e 25 cadeiras no parlamento.
O Partido Pirata foi o terceiro mais votado e terá 22 cadeiras, mesmo número de representantes do movimento Democracia Direta e Liberdade (SPD), que exige a realização de um referendo para retirar a República Tcheca do bloco europeu.
Também fará parte do parlamento, com 15 cadeiras, o Partido Comunista da Boêmia e Morávia (KSCM), que pede a saída do país da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).
O Partido Social-Democrata Tcheco (CSSD), até então a primeira força política do país, teve seu pior resultado nas urnas, perdeu a metade de seus eleitores e caiu de 50 para 15 cadeiras.
Também superaram a barreira de 5% dos votos para entrar no parlamento da União Democrática Cristã (KDU), com dez cadeiras, os conservadores do TOP09, com sete, e o Movimento Prefeitos e Independentes (Stan), com seis deputados.
O presidente da República Tcheca, Milos Zeman, anunciou que encarregará Babis da formação do governo, apesar dos problemas judiciais do milionário.
Babis já começou os contatos com outros partidos para formar alianças e se reuniu de manhã com os comunistas. Segundo a Rádio Praga, à tarde ele deve se encontrar com os social-democratas.
A participação nas eleições foi de 60,84%, de acordo com o Escritório Estatístico Tcheco.